Portal da Cidade Guaxupé

Esporte

Atleta Paralímpico treina em Guaxupé para mundial de Ski na Alemanha

Guilherme Cruz Rocha, de 23 anos, vai disputar a prova no mês de janeiro e faz a preparação em Guaxupé.

Postado em 29/10/2019 às 15:00 |

Marcelo e Glauto são os preparadores físicos de Guilherme. (Foto: Carol Negrão)

Preparadores avaliaram o desempenho e condicionamento físico de Guilherme. (Foto: Carol Negrão)

Guilherme faz preparação física em Guaxupé. (Foto: Carol Negrão)

Guilherme faz preparação física em Guaxupé. (Foto: Carol Negrão)

Marcelo e Glauto são os preparadores físicos de Guilherme. (Foto: Carol Negrão)

Guilherme faz preparação física em Guaxupé. (Foto: Carol Negrão)

Guilherme faz preparação física em Guaxupé. (Foto: Carol Negrão)

Guilherme é atleta paraolímpico de Ski Cross Country. (Foto: Carol Negrão)

No Brasil, Guilherme treina no asfalto. (Foto: Carol Negrão)

Em meio a primavera com temperaturas de mais de 30°C, um atleta treina para competir na neve. Guaxupé foi escolhida pelo atleta paralímpico Diego Cruz Rocha, de 23 anos, para se preparar para a Copa do Mundo de Ski Cross Country no mês de janeiro, em Altenberg, na Alemanha. No mês de fevereiro em Finsterau, também da Alemanha. O atleta chegou à cidade na semana passada para fazer a preparação física com os educadores físicos Marcelo Martins da Silva Júnior e Glauto Reis, da Pulse Fit.

Guilherme é natural de Jundiaí e teve a perna esquerda amputada depois de um acidente de motocicleta. Há dois anos ele descobriu o Ski Cross Country, modalidade de esporte de inverno.

Guilherme pratica ski cross country. (Foto: reprodução/ redes sociais)

“Eu falo para o pessoal que não fui eu que escolhi o esporte, o esporte que me escolheu. Eu fui fazer fisioterapia e a doutora perguntou se eu conhecia o esporte. Fazia 4 meses que eu estava amputado. Treinei um mês e conheci a neve pela primeira vez na Argentina. Na adaptação me sai super bem. Hoje a nossa adaptação é no asfalto, com roller. Estando entre os melhores colocados acabei conquistando as viagens internacionais para estar nas Copas do Mundo”, lembrou Guilherme.

Treino em Guaxupé

O tio de Guilherme é barbeiro em Guaxupé. Foi através dele que o atleta conheceu os preparadores físicos. “O meu tio comentou o meu caso com o pessoal da Pulse Fit, que abraçou a causa e me telefonou na mesma hora para a gente fazer o acompanhamento nos meus treinos”, explicou o atleta que disse que não ter tido o mesmo apoio na cidade natal dele, Jundiaí.

Diariamente Guilherme faz treinos físicos e técnicos. Mesmo praticando um esporte de inverno, ele consegue simular descidas e subidas na neve em um roller no asfalto.

“Ele já vem de um histórico de competições importantes, conseguindo índice para a Copa do Mundo de Ski Cross Country. Agora com essa preparação para potencializar ainda mais os resultados que vai dar ainda mais alavancagem para ele no campeonato e fica mais reconhecido no esporte”, afirmou preparador físico Glauto Reis. Ele e Marcelo Martins da Silva Júnior são os responsáveis pela preparação de Guilherme para a Copa do Mundo na Alemanha.

“ Essa parceria começou agora e não tem prazo para terminar. É para daqui duas, três quatro olimpíadas. A primeira na Copa do Mundo da Alemanha e a paraolimpíada de inverno, no Japão”, ressaltou Marcelo.

Superação

Guilherme é ex-militar do exército e teve a perna amputada quando estava se preparando para prestar concurso para a polícia militar do Estado de São Paulo. O esporte ajudou o jovem a superar o acidente.

Guilherme Cruz Rocha / atleta / Guaxupé

Superação

Abriu um leque de opções. Eu sempre acreditei no esporte, sempre pratiquei desde a época que estava no quartel. Minha vida foi sempre praticar esporte. E quando perdi a perna não teve problema porque eu já conhecia o esporte adaptado, só não sabia qual modalidade eu queria. E hoje no ski foi onde eu consegui me alavancar no esporte novamente.

Guilherme Cruz Rocha / atleta / Guaxupé

“Desde que eu estava no hospital esse era a minha meta: chegar as paraolimpíadas. No Ski estou com seis provas, sendo que em cinco tive bons resultados que me classificam para estar nas paraolimpíadas de 2022, no Japão. E tendo agora na Alemanha, eu vou estar na minha sexta prova com bons resultados e com certeza fechando com chave de ouro no Japão”, disse Guilherme.

Receba as notícias através do grupo oficial do Portal da Cidade Guaxupé no seu WhatsApp. Não se preocupe, somente nosso número conseguirá fazer publicações, evitando assim conteúdos impróprios e inadequados. 📲 Participe clicando neste link.👈

Fonte:

Deixe seu comentário