Portal da Cidade Guaxupé

By Pass

Médico realiza primeira cirurgia de redução de estômago por vídeo em Guaxupé

Procedimento é menos invasivo que a cirurgia aberta levando a recuperação do paciente de forma mais rápida.

Postado em 02/12/2020 às 13:19

Dr. Marcos Becker Rocha realizou o primeiro procedimento de redução de estômago por vídeo em Guaxupé. (Foto: Divulgação)

O dia 16 de novembro entrou para história da medicina em Guaxupé. É que nesta data foi realizada a primeira cirurgia de redução de estômago feita por vídeo, na Santa Casa de Guaxupé. O procedimento foi realizado pelo cirurgião gástrico Marcos Becker Rocha em uma paciente de 48 anos, da cidade de Juruaia. A cirurgia por vídeo, do tipo By Pass gástrico, tem risco de 0,1% a 0,3%.

“A cirurgia por vídeo já existe há muito tempo, mas a questão é o custo dessa cirurgia. mas as vantagens da cirurgia por vídeo são inúmeras. Um paciente que faz uma cirurgia aberta, tem um risco de 30% no surgimento de hérnias. O paciente vai emagrecer, mas isso não vai acontecer em uma semana. Ele vai emagrecer ao longo de um ano, um ano meio. O ideal é que ele emagreça paulatinamente. E durante esse período ele está perdendo peso, ele ainda é obeso e ele tem um corte na barriga que com a pressão vai resultar em uma hérnia. Então do total de pacientes que fizeram uma cirurgia aberta, 30% desenvolvem hérnia abdominal necessitando nova cirurgia para correção, enquanto que na cirurgia por vídeo, essa intercorrência é quase inexistente. O grampo da cirurgia por vídeo é mais reforçado que da cirurgia aberta”, explicou o médico Marcos Becker.

Dr. Marcos Becker é formado pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas(1992), e possui mestrado em Cirurgia pela Unicamp, residência médica pela PUCCAMP, aperfeiçoamento em Chirurgie Génèrale Et Endocrine e aperfeiçoamento em Chirurgie Génèrale Et Digestive pela Université de Strasbourg I(1997), na França. Foi médico contratado da Hospital Municipal Dr. Mário Gatti e do Hospital Maternidade Celso Pierro. Foi professor da Pontifícia Universidade Católica de Campinas antes de se mudar para Minas, há 11 anos. Ele também atende pacientes em Guaxupé, Passos e São Sebastião do Paraíso.

Diferença entre as cirurgias

Há, basicamente, dois tipos de técnicas de cirurgia de redução de estômago: Sleve e By-Pass. A técnica Sleve é mais indicada para pacientes obesos jovens que ainda não possuam comorbidades ligadas à obesidade. A única contraindicação é aos pacientes que possuem doença do refluxo. Já o By Pass é indicado à pessoas com comorbidades como pressão alta e diabetes.

“No By Pass você tem uma perda de peso maior girando em torno de 35% a 40%. As duas tem vantagens e desvantagens. O By Pass é mais indicado para um paciente metabólico. Um paciente com quadro de diabetes, pressão alta, dislipidêmicos; e o Sleve é indicado para um paciente mais jovem com um quadro de obesidade, e que não tem outras comorbidades. A grande vantagem do Sleve é que você pode reverter ela para o By Pass caso tenha uma reengorda”, afirmou o médico ao Portal da Cidade Guaxupé.

A reengorda de paciente gira em torno de 20% dos casos, mas está mais ligada aos hábitos alimentares do que a um problema da técnica utilizada. “Fazemos uma acompanhamento multidisciplinar com paciente: psicológico, nutricional e às vezes até fonoaudiólogo para acompanhar a mastigação desse paciente, porque geralmente o obeso come muito rápido. Somente com esse acompanhamento é possível ter sucesso na cirurgia”, disse Dr. Marcos Becker, que ressaltou que a maioria dos casos de engorda está relacionado à ingestão de bebida alcóolica.

Na cirurgia de Sleve há uma mudança da parte gástrica. E a cirurgia do By Pass tem envolvimento na parte intestinal. “É nessa parte intestinal que há a concentração das enzimas chamadas GLPI e GLPII. As duas são precursoras da insulina. Então automaticamente essa mudança no intestino faz com que aumente essa produção de insulina. O índice de reversão do diabetes tipo 2 para pacientes que fazem a cirurgia de By Pass é em torno de 96%. Pacientes que são insulino dependentes podem deixar de tomar insulina”, ressaltou o cirurgião.

Indicação

A cirurgia de redução de estômago está longe de ser uma tratamento estético. No Brasil, o procedimento é indicado para pessoas com Índice de Massa Corpórea (IMC) acima de 40. Mas outros fatores também são levados em conta.

Marcos Becker Rocha / Cirurgião / Guaxupé

Indicações

A gente considera obesidade mórbida o índice de massa corpórea (IMC) acima de 40. Ele é calculado dividindo o peso pela altura ao quadrado (IMC=Peso/Altura²). Se o resultado for maior que 40, esse paciente já tem indicação. Ele tem que ter tentado tratamento clínico por mais de dois anos. Já o paciente com IMC acima de 35 e que já possui comorbidades como pressão alta e diabetes já tem indicação

Marcos Becker Rocha / Cirurgião / Guaxupé

Já com relação à contra indicação, o médico explica: “A cirurgia de Sleve é contra indicada nos casos de doença do refluxo gastro esofágico e no caso do By Pass, por ser uma cirurgia metabólica, é necessária a reposição de ferro e vitamina B12 injetável, porque não tem como absorver por causa da mudança do trato digestivo a nível do estômago. E você tem que fazer essa reposição periódica. A melhor técnica vai de paciente para paciente.”

Receba as notícias através do grupo oficial do Portal da Cidade Guaxupé no seu WhatsApp. Não se preocupe, somente nosso número conseguirá fazer publicações, evitando assim conteúdos impróprios e inadequados. 📲 Participe clicando neste link.👈

Fonte:

Receba as notícias de Guaxupé no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário