Portal da Cidade Guaxupé

SOS Café

Diretor do Conselho do Café da AMOG alerta para situação da cafeicultura

Safra menor que o esperado, geada e aumento de custo de produção fazem com que os produtores peçam ajuda às autoridades.

Postado em 26/07/2019 às 20:23 |

Geada no início do mês de julho foi um dos problemas apontados pelo representante da CCAMOG. (Foto: Reprodução/Google)

Com a colheita de café encerrando-se, produtores fazem cálculo do custo de produção contra safra de café colhida em 2019.  Segundo o diretor do Conselho do Café da AMOG, Fernando Barbosa, o cenário de quebra na produção, complicações com a qualidade e alto índice de endividamento, geram dúvidas quanto ao que se deve investimento para safra 2020.

Ainda de acordo com Barbosa, alguns produtores já relatam via rede sociais que a safra foi menor que projetado pelas equipes técnicas e instituições governamentais, que previram uma super safra. "Enquanto a classe produtora por experiência, havia alertado quanto aos problemas climáticos, que a safra seria menor, mediante as frustrações de safras anteriores e, além de fornecer dados aproximados da safra em 2018, foi relatado que o consumo dos cafés tem aumentado frenquentemente", aponta Barbosa.  

Com uma previsão de geada no mês de julho, os preços reagiram diante de especulação de uma geada muito forte, que poderia dizimar regiões montanhosas, cerrado, baixadas.  

"Após as geadas, os representantes das instituições e empresas ligadas ao setor, reuniram em um evento de debate em Campinas. Palestras e propostas para dar rumos a cafeicultura mundial, foram apresentados, muitos produtores na atividade da safra, comentavam a geada e no fórum o clima com futuro do aquecimento global", ressalta o representante da CCAMOG.

Fernando aponta que no mesmo momento, "os cafeicultores estavam mais preocupados com a colheita, com os preços baixando na valorização de documentos físicos, do que o norteamento das lideranças que apresentava proposta de criação de plataforma global do café."

"Muitos produtores estão chamando atenção das autoridades competentes e representativas do setor cafeeiro para divulgar o aumento dos custo de produção e as perdas frequentes de preço e produção desde de 2015. Depois da grande seca de 2014, na sequência a geada em 2016, em seguida no ano de 2017, perdas por qualidade por chuva na colheita e, em 2018 perda de qualidade e produtividade por infestação de broca e seguidos de baixos preços, a cafeicultura entra nesta safra 2019/20, com acúmulo de altos custos liderados pelos insumos e defensivos juntamente com baixa qualidade e baixa na produtividade." 

"Alguns produtores de café pedem medidas eficazes para o Governo Federal, outros dizem que está na hora de fazer um movimento marcante que título representa a voz da Cafeicultura e dos Cafeicultores, o título infelizmente é, Socorro. 'S.O.S NO CAFÉ'. " 

"Nós do CCAMOG, pedimos às autoridades competentes, representantes de classes para manifestar apoio aos cafeicultores mineiros e brasileiros, que passam por situações de risco e até mesmo deixando de cumprir as atividades, nas regiões montanhosas- como correção de solo, adubações, reformas de lavouras, aplicações de defensivos- para honrar compromissos." 

Fonte:

Deixe seu comentário